A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito
promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.
 

 

FOCO E ESCOPO

As boas ideias do passado merecem “renascer das próprias cinzas” - como diziam que a fênix tinha por costume - e a Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha volta a publicar regularmente a Revista NAVIGATOR - Subsídios para a História Marítima do Brasil (ISSN-0100-1248). A NAVIGATOR - do latim, navigator, oris - é uma revista semestral e, além do propósito de prover os subsídios para a História, existe a intenção de que ela se torne um periódico que traga a contribuição de historiadores, arqueólogos e pesquisadores, servindo, também, como meio de divulgação capaz de ampliar a consciência marítima brasileira.

O objeto da História, de que se ocupa a NAVIGATOR, é o passado das atividades humanas referente ao mar e, por afinidade, aos rios navegáveis. Portanto, são parte do escopo da revista, dentro desse objeto:

  • O emprego e o aprestamento da parcela militar do poder marítimo,
    que é o poder naval;
  • As viagens marítimas e fluviais de exploração e os relatos dos viajantes;
  • O transporte marítimo e fluvial e a infraestrutura hidroviária;
  • A navegação e a cartografia náutica;
  • A colonização e as invasões que dependeram do mar;
  • A indústria naval de construção e reparação e seus produtos;
  • A indústria bélica de interesse do aprestamento naval;
  • As atividades, as organizações e os meios de exploração e explotação dos recursos do mar;
  • As atividades de arqueologia e de pesquisa arqueológica subaquáticas;
  • As atividades referentes às ilhas oceânicas brasileiras; e
  • As atividades referentes ao mar analisadas, quanto ao seu passado,
    à luz das ciências humanas, em geral.


Para que a NAVIGATOR possa divulgar artigos de elevada qualidade e rigor científico, criou-se um Conselho Consultivo de pessoas notáveis por seus trabalhos no campo da História ou da Arqueologia, que aceitaram o convite para colaborar com a revista, publicando artigos de sua autoria ou atraindo bons trabalhos de outros. A NAVIGATOR, porém, precisa da colaboração de todos que se interessam pela História Marítima do Brasil e, portanto, artigos são muito bem-vindos.

 

PROCESSO DE AVALIAÇÃO PELOS PARES

A Navigator adota a prática de desk review. Os artigos e demais textos recebidos são lidos pelo Editor e membros do Conselho Editorial, e se decide se o texto poderá ou não ser encaminhado aos pareceristas. Nessa primeira avaliação, é considerada a pertinência do artigo ao foco da revista e a adequação às normas editorias.

No caso de serem recebidas contribuições cuja expertise não esteja contemplada pelos currículos e especialidades dos membros do Conselho Editorial, o Editor pode convidar pareceristas ad hoc, os quais devem ter notória especialização na área de interesse.

Os autores receberão, por via eletrônica, cópia dos pareceres emitidos, respeitando-se sempre o sigilo quanto à identidade dos avaliadores.

 

PERIOCIDADE

Semestral

 

POLÍTICA DE ACESSO LIVRE

A Navigator oferece acesso livre e imediato ao seu conteúdo. Ao disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público, nossa revista age sob o princípio de proporcionar maior democratização mundial do conhecimento.

 

POLÍTICA DE DOSSIÊ TEMÁTICOS

A Navigator adota desde 2009 a política de dossiês temáticos. Tal formato tem potencializado o impacto e a divulgação dos números, na medida em que favorece a dinâmica dialógica entre os artigos, fortalecendo-os mutuamente.


A Revista publica dossiês temáticos, recorrendo a estudiosos convidados para organizá-los. Cada dossiê é composto, geralmente, de cinco a dez artigos. Os organizadores dos dossiês têm precedência para a emissão de pareceres aos artigos remetidos ao dossiê.


A Navigator procura organizadores de dossiês que pertençam a diferentes instituições de ensino e pesquisa. As chamadas de artigos aos dossiês temáticos são publicadas no site da revista com antecedência da data de publicação. Todos os dossiês temáticos indicarão um dead line (data limite) para a submissão.


A organização do dossiê temático não deve ocupar todo o espaço destinado aos artigos, preservando-se, assim, as seções de fluxo contínuo. Desta forma, independentemente dos dossiês temáticos, os autores podem submeter contribuições em qualquer outra seção, a qualquer momento.


Textos eventualmente aprovados, mas não aproveitados em um dossiê pelos organizadores, poderão ser destinados a integrar as seções de fluxo contínuo da revista em algum número seguinte.

 



POLÍTICA DE TAXAS

A revista é de acesso gratuito e não cobra taxas dos autores para as submissões dos artigos, para as avaliações e para a publicação dos textos aprovados.

<voltar>