A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito
promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.

 




        

O fim, o início e o meio: o apresamento do Marquês de Olinda e o cativeiro dos primeiros prisioneiros de guerra brasileiros a partir das memórias dos sobreviventes
The end, the beginning and the middle: the seizure of the Marquês de Olinda and the captivity of the first Brazilian prisoners of war from the memories of the survivors



Francisco José Corrêa-Martins

Professor do Departamento de Geociências da UFRRJ. Bacharel e Licenciado em História, Bacharel, Mestre e Doutor em Ciências – Geologia, lecionou na EsPCEx e chefiou a Divisão de História do AHEx, pesquisa a História Militar latino-americana dos séculos XVIII e XIX.



RESUMO

O apresamento do Vapor brasileiro Marquês de Olinda pela Canhoneira paraguaia Tacuari foi o episódio que marcou o início da guerra entre o Paraguai e o Brasil, e que arrastou a Argentina e o Uruguai para o conflito mais sangrento da América do Sul. Além de apresentar as razões que levaram o Presidente paraguaio Francisco Solano López a ordenar aquela ação, esta pesquisa reconstitui como ocorreu a captura dos oficiais brasileiros que viajavam como passageiros, e se tornaram os primeiros prisioneiros daquela guerra, fato esse pouco referido na historiografia. A partir das memórias de dois oficiais ex-prisioneiros sobreviventes daquele grupo, reconstruiu-se a dinâmica dos campos de prisioneiros paraguaios, constatando suas deficiências e o caráter rotineiro das execuções indiscriminadas, uma das facetas características daquele líder autoritário paraguaio de então, ao longo de quase cinco anos.

PALAVRAS-CHAVE: Prisioneiros de Guerra; Guerra do Paraguai; História Militar

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)

RESUMO
The seizure of Brazilian steamer Marquês de Olinda by the Paraguayan gunboat Tacuari was the episode that marked the beginning of the war between Paraguay and Brazil, and that dragged Argentina and Uruguay into the bloodiest conflict in South America. This research presents the reasons the Paraguayan president Francisco Solano López to order this action and restored how the capture of Brazilian officers who traveled as passengers and who became the first prisoners of war took place, aspects that are rarely mentioned in the historiography of that conflict. Based on the narratives of two surviving former prisoner officers from that group, the dynamics of the Paraguayan prisoner camps were reconstructed, realizing their deficiencies and the routine of indiscriminate executions, one of the characteristic facets of that Paraguayan authoritarian leader over almost five years.

KEYWORDS: Prisoners of War, Paraguayan War, Military History