A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito
promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.

 




        

O Sextante de Horizonte Artificial de Gago Coutinho: A génese Marítima da Navegação Aérea
Artificial Horizon Sextant from Gago Coutinho: Maritime origins from Air Navigation


António Costa Canas
Escola Naval e CINAV, Centro de História da Universidade de Lisboa. Doutor em História dos Descobrimentos e da Expansão Portuguesa pela Universidade de Lisboa. Mestre em História dos Descobrimentos e da Expansão Portuguesa e licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Licenciado em Ciências Militares Navais – Marinha, pela Escola Naval.

Magda Ramires Marabujo
Escola Naval. Mestre em Ciências Militares Navais, especialidade de Marinha.

Teresa Sousa
Escola Naval e CINAV, Centro de Matemática e Aplicações (CMA), FCT, UNL. Doutora e Mestre em Algoritmos, Combinatória e Optimização pela Carnegie Mellon University, Mestre em Matemática Aplicada pelo Instituto Superior Técnico, e licenciada em Matemática pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.


RESUMO
Em 1922 foi realizada, por Gago Coutinho e Sacadura Cabral, a primeira travessia aérea do Atlântico Sul. O sucesso da viagem deveu-se ao facto de terem sido usados, pela primeira vez, métodos astronómicos de navegação, adaptados da navegação marítima. Para a sua aplicação, tornava-se necessário medir alturas de astros, de modo a estimar, com rigor, a posição da aeronave. O sextante usado na navegação marítima nem sempre podia ser usado na navegação aérea, dada a dificuldade em observar a linha do horizonte a altitudes elevadas. Para colmatar esta dificuldade, Gago Coutinho desenvolveu um sextante de horizonte artificial o qual lhe permitia observar a altura de um astro em situações em que o horizonte de mar não era visível, por exemplo, em caso de má visibilidade ou de altitude elevada da aeronave. Este artigo tem por objetivo apresentar o sextante desenvolvido por Gago Coutinho.


PALAVRAS-CHAVE: Gago Coutinho; Navegação Aérea; Sextante

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)

ABSTRACT
In 1922 Gago Coutinho and Sacadura Cabral completed the first South Atlantic Aerial Crossing. In this crossing several methods of astronomical maritime navigation were used with adaptations to aerial navigation. To apply these methods, it was necessary to measure the altitude of a star in order to estimate the position of the aircraft accurately. The sextant used in maritime navigation could not always be used in aerial navigation, given the difficult to observe the sea horizon at high altitudes. To overcome this difficulty Gago Coutinho developed an Artificial Horizon Sextant that could be used to measure the altitude of a star when the sea horizon was is visible. In this paper we will study Coutinho’s sextant.

KEYWORDS: Aerial Navigation; Gago Coutinho; Sextant