A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito
promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.

 




        

A música na Armada brasileira no final do século XIX: dos quartéis aos navios em comissão
The music in the Brazilian Navy at the end of 19th Century: from the quartels to the ships in the commission


Anderson de Rieti Santa Clara dos Santos
Graduado em Licenciatura em História pela Universidade Estadual de Feira de Santana. Pós-Graduação em Lato Sensu em História Militar Brasileira pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Mestrando do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense. Capitão-Tenente do Quadro Técnico da Marinha. Serve na Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha.


RESUMO
A presença de conjuntos musicais a bordo dos navios da Armada brasileira em comissões de visitas e repre-sentações diplomáticas em outros países do final do século XIX evidencia como a Marinha buscava compor tais conjuntos em termos de pessoal e material e visava a formação de seus músicos para as práticas que vi-riam ter lugar nas unidades terrestres e nas belonaves. Tais práticas, a princípio, esparsadas no tempo e nos espaços durante o século XIX, passaram a ser mais presentes a partir das experiências iniciais como a dos menores aprendizes no Arsenal de Marinha da Corte. Logo após, mais sistemáticas, com a instituição da banda do Corpo de Imperiais Marinheiros e do ensino de música nas Companhias de Aprendizes no final dos Oitocentos. Trata-se de um contexto em que o ensino musical no Brasil é função de instituições centrais neste propósito, como o Imperial Conservatório de Música, fundado em 1848, mas que tem lugar também em outros espaços, como na Marinha brasileira.

PALAVRAS-CHAVE: Práticas musicais; Música militar; Marinha brasileira; Século XIX

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)

ABSTRACT
The presence of musical ensembles aboard the ships of the Brazilian Navy in commissions of visits and di-plomatic representations in other countries of the late nineteenth century shows how the Navy sought to compose such ensembles in terms of personnel and material and aimed at training its musicians for the prac-tices that would take place in terrestrial units and in belonaves. Such practices, initially scattered in time and space during the nineteenth century, became more present from the initial experiences as the smaller appren-tices in the Arsenal of Navy of the Court. Soon after, more systematic with the institution of the band of the Corps of Imperials Seamen and the teaching of music in the Companies of Apprentice at the end of the Ei-ghth. It is a context in which music education in Brazil is a function of institutions central to this purpose, such as the Imperial Music Conservatory, founded in 1848, but which also takes place in other spaces, such as the Brazilian Navy.

KEYWORDS: Musical practices; Military music; Brazilian Navy; 19th century