A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito
promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.

 




        

O Príncipe D. Pedro e Jorge de Avilez a bordo da Fragata União, de Oscar Pereira da Silva: a Independência em tons belicosos
Prince D. Pedro and Jorge de Avilez on board the Fragata União, by Oscar Pereira da Silva: the Independen-ce in belone tones


Carlos Lima Junior
Doutorando em Estética e História da Arte pelo MAC USP. Bolsista Fapesp. Coautor, ao lado de Lilia Mo-ritz Schwarcz e Lúcia Klück Stumpf, do livro A Batalha do Avaí – a beleza da barbárie: a Guerra do Para-guai pintada por Pedro Américo (Sextante, 2013).


RESUMO
Este artigo visa a elucidar as intenções que presidiram a produção da pintura O Príncipe D. Pedro e Jorge de Avilez a bordo da Fragata União, de Oscar Pereira da Silva, destinado ao Museu Paulista, que estava em processo de remodelação para as festas centenárias da Independência em 1922. Atenta-se para as fontes vi-suais e textuais que nortearam a composição, sua afinidade ao programa decorativo empreendido por Afonso d’Escragnolle Taunay – encomendante do quadro e diretor do Museu na época. Busca-se, inclusive, de-monstrar os empréstimos, as adaptações, as soluções e escolhas de modelos visuais que nortearam Pereira da Silva no momento de dar visualidade, “materialidade” a tal cena histórica retratada pelos seus pincéis, su-pervisionados pelo comitente Afonso Taunay.

PALAVRAS-CHAVE: Pintura de História; Fragata União; Oscar Pereira da Silva; Afonso d’Escragnolle Taunay; Museu Paulista

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)

ABSTRACT
This article aims to discuss the intentions that presided over the production of the painting Prince D. Pedro and Jorge de Avilez on board the Fragata União, by Oscar Pereira da Silva and destined for the Paulista Museum that was in the process of remodeling for the centenary celebrations of the Independence in 1922. It’s seeks to attentive to the visual and textual sources that guided the composition, its affinity with the decorative program undertaken by Afonso d’Escragnolle Taunay – commissioner of the painting and director of the Museum at the time. It also seeks to demonstrate the loans, adaptations, solutions and choices of visual models that guided Pereira da Silva at the moment of giving visuality, “materiality” to such a historical scene portrayed by his brushes, supervised by the commander Afonso Taunay.

KEYWORDS: Historical Painting; Fragata União; Oscar Pereira da Silva. Afonso d’Escragnolle Taunay; Paulista Museum