A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.







Apresentação do Dossiê

Prof. Dr. José Miguel Arias Neto
Programa de Pós-Graduação em História (Universidade Estadual de Londrina) e Programa de Pós-Graduação em História e Regiões (Universidade Estadual do Centro-Oeste).
CMG (RM1) Prof. Dr. Francisco Eduardo Alves de Almeida
Programa de Pós-Graduação em Estudos Marítimos – Escola de Guerra Naval.


No dia 26 de outubro de 1917, o Brasil declarou guerra ao Império alemão. Ato já esperado pela comunidade internacional, em razão dos ataques alemães aos navios mercantes nacionais e ao seu alinhamento natural com a França, Reino Unido e Estados Unidos da América. Quatro foram as contribuições ao esforço de guerra aliado. A primeira o envio de um grupo de aviadores para operar junto à Royal Air Force no Reino Unido. A segunda foi a designação de alguns oficiais do Exército para comporem unidades francesas na frente ocidental. A terceira o envio de uma delegação médica para a França para cooperar com os Aliados e, por fim, a designação de uma Divisão Naval composta de oito navios para patrulhar o triângulo Dacar, Cabo Verde e Gibraltar. Contribuições modestas, mas ao mesmo tempo importantes, pois o Brasil foi o único país latino-americano a enviar contingentes militares para atuarem no velho continente e na África, isso sem mencionar o simbolismo político dessa atitude.


Neste ano, comemora-se os cem anos da entrada do Brasil nesse grande conflito, que ceifou a vida de milhões de combatentes e civis. A maior tragédia humana a acontecer até ali no século XX.
Como forma de rememorar esse ato do Brasil, a revista de história naval Navigator está lançando o dossiê “O Brasil e a Grande Guerra”...

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)