A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.




        

Mercês, pactos e conflitos: negociações e disputas entre a nobreza da terra carioca na Revolta da Cachaça (1649-1661)
Grace, pacts and conflicts: negotiations and disputes between the nobility of the Rio de Janeiro in the Revolta da Cachaça (1649-1661)


Marcelo Gulão Pimentel
Professor de História do Colégio Naval, é mestre em Saúde pela Universidade Federal de Juiz de Fora, possui o curso de especialização em História Moderna pela Universidade Federal Fluminense e é graduado em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.


RESUMO
Este trabalho procura analisar a Revolta da Cachaça (1660-1661) do Rio de Janeiro como um conflito entre a nobreza da terra carioca pelo domínio da economia do bem comum que significava vantagens e benesses políticas e econômicas. Em jogo, a hegemonia da região de suas redes mercantis no contexto histórico do Atlântico Sul no século XVII.

PALAVRAS-CHAVE: Revolta da Cachaça; Antigo Regime; Salvador Correia de Sá e Benevides

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)
ABSTRACT
This paper analyzes the Revolt of Cachaça (1660-1661) of Rio de Janeiro as a conflict between the nobility of the Rio land for control of the common good which meant political and economic advantages and blessings economy. In game, the hegemony of the region of their mercantile networks in the historical context of the South Atlantic in the seventeenth century.

KEYWORDS: Revolta da Cachaça; Ancién Regime; Salvador Correia de Sá e Benevides