A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.





Engenharia Civil no Brasil Oitocentista: Discussões tecnológicas acerca da Guerra do Paraguai na Revista do Instituto Politécnico Brasileiro
Civil engineering in nineteenth-century Brazil: technological Discussion about the Paraguayan War in the Journal of the Instituto Politécnico Brasileiro

Pedro Eduardo Mesquita de Monteiro Marinho
Doutor em História pela Universidade Federal Fluminense. Pesquisador titular da Coordenação de História da Ciência do Museu de Astronomia e Ciências Afins e professor do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.

Laura Roberta Fontana

Mestre em História Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro e pesquisadora pelo Programa de Capacitação Institucional no Museu de Astronomia e Ciências Afins – Rio de Janeiro.



RESUMO
Este artigo tem como objetivo refletir acerca da distinção entre a Engenharia Militar e a Engenharia Civil no Brasil Oitocentista, a partir da criação da Escola Central no Rio de Janeiro e do Instituto Politécnico Brasileiro (IPB), sendo este um espaço fundamental para discussão tecnológica acerca da Guerra do Paraguai. Trabalharemos de forma mais específica com uma das memórias publicadas na Revista do Instituto Politécnico Brasileiro, que objetivou apresentar a utilização de torpedos pelo Paraguai durante a guerra e de que maneira essas “máquinas infernais submarinas” foram um desafio para a força naval brasileira. Pretendemos aSsim mostrar como o IPB foi um espaço fundamentalnão apenas para a profissionalização da Engenharia Civil no Brasil, mas também para os debates tecnológicos do período, e como a experiência na Guerra do Paraguai estava presente nessas discussões.

PALAVRAS-CHAVE: Guerra do Paraguai; Engenharia Civil Oitocentista; Instituto Politécnico Brasileiro

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)

ABSTRACT
This article aims to reflect on the distinction between the Military Engineering and Civil Engineering in nineteenth-century Brazil, from the creation of the Central School in Rio de Janeiro and the Brazilian Polytechnic Institute, which is a fundamental space for technological discussion about the War Paraguay. We will work more specifically with one of the memories published in the Journal of the Brazilian Polytechnic Institute, which aims to present the use of torpedoes by Paraguay during the war and how these “submarine infernal machines” were a challenge for the Brazilian naval force. We intend to show how the IPB was a key spacenot just for the professionalization of Civil Engineering in Brazil, but also to technological debates of the period, and as experience in the Paraguayan War was present in these debates.

KEYWORDS: Paraguayan War; Civil Engineering in nineteenth-century; Instituto Politécnico Brasileiro