A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.





Riachuelo: uma batalha de controvérsias

Francisco Eduardo Alves de Almeida
Oficial de Marinha, professor de História Naval e Estratégia do Programa de Pós-Graduação em Estudos Marítimos (PPGEM) da Escola de Guerra Naval. É historiador graduado, mestre e doutor em História Comparada pela UFRJ. Membro emérito do Instituto de Geografia e História Militar do Brasil.


RESUMO
A Batalha Naval do Riachuelo tem sido muito discutida nestes últimos cento e cinquenta anos. As interpretações de autores de língua inglesa têm sido particularmente duras com a atuação da Marinha do Brasil. O que se pretende discutir neste artigo é o ofício do historiador e seus instrumentos profissionais para, a partir dessa discussão, analisar cinco controvérsias. A posição inicial da força naval imperial, a comparação de poderes combatentes, o início da batalha, o desempenho de Barroso no combate e por fim se essa batalha foi efetivamente decisiva.

PALAVRAS-CHAVE: batalha naval, ofício do historiador, Guerra do Paraguai, Batalha do Riachuelo, controvérsias de Riachuelo

 

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)

ABSTRACT
The Naval Battle of the Riachuelo has been intensely discussed during the last 150 years. The interpretations of English-speaking authors have been particularly harsh on the actions of the Brazilian Navy. In this paper we intend to discuss the function of the historian and his professional instruments, in order to effectively analyze five controversies: the initial position of the imperial naval forces, the comparison between the warring powers, the beginning of the battle, Barroso’s performance in that combat, and, finally, how decisive that battle actually was.

KEYWORDS: naval battle, occupation of historian, War of Paraguay, Battle of Riachuelo, Riachuelo controversy