A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.





A Marinha de Guerra na Amazônia: atuação e questões de modernização técnica (final do século XIX e início do XX)

William Gaia Farias
Professor da Faculdade de História e do Programa de Pós-Graduação em História Social da Amazônia da Universidade Federal do Pará. Doutor em História Social pela Universidade Federal Fluminense. Pós-Doutor pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Pablo Nunes Pereira
Graduado em História pela Faculdade de História – FAHIS da Universidade Federal do Pará – UFPA. Pesquisador do Grupo de Pesquisa Militares, poder e sociedade na Amazônia.

Agradecemos a Direção e funcionários do Arquivo da Marinha (sediado no Rio de Janeiro) pela generosa ajuda na pesquisa que vem sendo desenvolvida pelo Grupo de Pesquisa: “Militares, Poder e Sociedade na Amazônia”, do qual este artigo representa uma parte.



RESUMO
É objetivo deste artigo analisar aspectos relevantes sobre o amplo debate acerca da modernização técnica da Marinha do Brasil, sobretudo no que trata da Flotilha do Amazonas. Neste sentido verificamos o processo internacional conhecido como “corrida armamentista” e seus reflexos no Brasil em questões como avaliações sobre o poderio naval brasileiro, a situação do material e do pessoal da Marinha e as investidas na encomenda de embarcações adequadas as ambições e condições do país, navegação e segurança da Amazônia na virada do século XIX ao XX.

PALAVRAS-CHAVE: Poder Naval; Modernização técnica; Segurança Nacional; Poder Naval

ABSTRACT
The objective of this article is to analyze relevant aspects of the great discussion about the technical modernization of the Brazilian Navy, specially about the Amazon Flotilla. In that way, we verified the international process known as “arms race” and the reflects in Brazil on issues such as avaliations about the brazilian naval power, the situation of the navy’s material and staff and yet the actions in order of acquisitions of ships according to the national ambitions and conditions, navigation and the Amazon security at the end of nineteenth and beginning of twentieth centuries.

KEYWORDS: Technical modernization; National Security; Naval Power

Na transição do século XIX para o XX, uma série de eventos alterou significativamente os rumos da tecnologia humana. A revolução industrial, a corrida armamentista, o aperfeiçoamento das armas e da capacidade de destruição alterariam o mundo. A relativa calmaria do fim do XIX e início do XX desaguaria nas maiores guerras já presenciadas.1 O progresso, o avanço e a civilidade descritos pelo cientificismo2 e pelas políticas nacionalistas se construiriam em torno do avanço tecnológico, tornando-se forte representação de poder dos estados-nação. Nesta diretriz a República brasileira em seu alvorecer buscou se modernizar para mostrar poderio e pujança como de sua “grandeza”. Tal modernização pretendida pela Marinha tinha como modelo os navios europeus de grande porte e armamentos, como o HMS Triumph e HMS Dreadnought, ambos ingleses.

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)