A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.





A modernização da Marinha brasileira no início do século XX na visão da imprensa: os jornais O Paiz e Correio da Manhã

Gabriela Carames Beskow
Doutora em Ciências Sociais em Desenvolvimento Agricultura e Sociedade pelo CPDA/UFRRJ. Estudante do Curso de Especialização em História Militar da Unisul. Professora de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico da Escola de Aprendizes-Marinheiros de Santa Catarina.


RESUMO
O objetivo deste artigo é analisar o discurso elaborado pela imprensa sobre a modernização da Marinha Brasileira ocorrida na primeira década do século XX. Para tal, serão utilizados como fontes dois jornais de grande circulação na época, e que representam posições políticas opostas: (1) O Paiz (situacionista) e (2) Correio da Manhã (oposicionista). A partir destas análises, buscamos refletir sobre como o processo de modernização era apresentado à opinião pública, e qual a importância atribuída pela imprensa ao desenvolvimento do poder naval no contexto da política exterior brasileira.

PALAVRAS-CHAVE: Poder Naval; Modernização da Marinha; Imprensa

ABSTRACT
The present article aims at analizing the press discourse about the modernization of the Brazilian Navy, which occured in the firt decade of the twentieth century. The corpus for analyzes is composed by two major newspappers at that time, which represent opposing political positions: (1) O Paiz (situacionist) and (2) Correio da Manhã (oppsiocionist). Based on the analyses, we reflect on how the modernization preocess was presented to the audience, and the importance attributed by the press to the development os naval power in the context of the Brazilian foreing policy.

KEYWORDS: Naval Power; Modernization of the Navy; Press

No início do século XX, o estado de enfraquecimento em que se encontrava o nosso poder naval era ponto comum entre militares e a opinião pública, mas, devido às crises financeiras que abalaram o país, e sem tecnologia nacional capaz de permitir a construção própria dos meios navais, era difícil a mobilização de recursos para o investimento necessário. Depois de grandes debates nos meios políticos, foi aprovado o decreto no 1.296, de 14 de dezembro de 1904, autorizando uma série de medidas para a modernização da Marinha, posteriormente substituído, em 1906, pelo decreto no 1.567.

Diversos estudos que abordam o tema da modernização ocorrida na primeira década do século XX analisam os debates internos da Marinha sobre os parâmetros desta modernização, ou tratam da sua importância no campo da história da política externa brasileira. Mas como foi que outros setores da sociedade perceberam este processo? Esta pergunta oferece múltiplas possibilidades de resposta. De nossa parte, propomos dar um pequeno passo nesta direção, escolhendo jornais da época como objeto de análise.

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)