A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.





Memórias de um Engenheiro Naval

Comandante Francisco Eduardo Alves de Almeida
Graduando em História pela Universidade Federal do Rio
de Janeiro. É sócio titular (IHGM) do Instituto de Geografia
e História Militar do Brasil e sócio da Associação Nacional
de História (ANPUH). É o atual diretor do Serviço de
Documentação da Marinha

CARDO, Francisco Carlos Pereira. O Tenentismo na Marinha. São Paulo: Paz e Terra, 2005

BITTENCOURT, Júlio Regis. Memórias de um Engenheiro Naval. Rio de Janeiro: Serviço de Documentação da Marinha, 2005

 Os diários e as memórias se constituem em gêneros literários subjetivos e privilegiados que procuram retratar as idéias, as atitudes e as percepções de seus autores num determinado contexto histórico. Como fontes historiográficas primárias os pesquisadores os consideram fundamentais para compreender os fenômenos sociais que cercam o autor, assim como a compreensão de sua estrutura mental, principalmente se esses historiadores estiverem trabalhando com biografias. O confronto com a documentação oficial passa a ser obrigatório, na medida em que se pretende indagar de que forma o escritor percebeu determinada ação ou fato histórico, daí o encanto e a dificuldade em se trabalhar com diários e memórias.

No campo da História Naval britânica, por exemplo, os diários e memórias são comuns. Normalmente um pesquisador procura organizar esses documentos pessoais do memorialista de forma a prepará-los para publicação. Muitas vezes, o próprio autor assim procede. No primeiro grupo conhecemos o caso dos diários de Sir Herbert Richmond, organizados pelo professor Arthur Marder em 1952, assim como o de Peter Kemp, que compilou as cartas e memórias do Almirante Lord Fisher entre 1960 e 1964. No segundo grupo encontramos a autobiografia do Almirante Sir Roger Keyes, por ele mesmo organizada e as muito comentadas memórias do Almirante Sandy Woodward sobre a Campanha das Malvinas de 1982 lançadas dez anos depois.

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)