A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.





O “inverno do descontentamento” na propaganda de preparação para Segunda Guerra em Recife

Karl Schurster
Doutor em História Comparada pela UFRJ com estágio de pesquisa na Freie Universität Berlin. Professor Adjunto de Teoria da História e História do Tempo Presente da Universidade de Pernambuco


RESUMO
Este trabalho procura abordar a importância estratégica de Pernambuco na campanha do Atlântico através de uma análise do cotidiano da Segunda Guerra Mundial no Nordeste. O foco está na construção da propaganda estado-novista no período entre 1942-1945 e suas implicações no contexto da Segunda Grande Guerra. Entender a montagem das estruturas propagandísticas e seu funcionamento na sociedade brasileira também faz parte do nosso objetivo macro. Por tal, analisamos o conflito bélico, existente no período, não só através da lógica militar, mas a partir de uma abordagem onde os discursos e sua veiculação na imprensa ganham visibilidade social na tentativa de cooptação da população para os fins estatais.

PALAVRAS-CHAVE:Estado Novo, guerra, propaganda política, autoritarismo

ABSTRACT
This work seeks to address the strategic importance of Pernambuco in the Atlantic campaign through an analysis of the everyday World War II in the Northeast. The focus is on the construction of the estado-novista Propaganda in the period 1942-1945 and its implications in the context of the Second World War. Understanding the assembly of structures and propaganda operation in Brazilian society is also part of our main objective. For this, we analyze the existing military conflict, not only by military logic, but from an approach where speeches and their dissemination in social media gain visibility in an attempt to gather population support for state purposes.

KEYWORDS: New state, war, propaganda politics, authoritarianism

Em sua tese de doutoramento, intitulada Sonhos de Nabucodonosor: aspectos da propaganda do Estado Novo em Pernambuco, o historiador José Maria Gomes de Souza Neto procurou analisar o desenvolvimento da propaganda política nos primeiros anos da interventoria de Agamenon Magalhães. Para tal, adaptou um conceito, o “veranico”, para mostrar como se chegou ao que intitulou de Inverno de descontentamento através da ruína dos Sóis Gloriosos. Em sua essência, o veranico.

foi um corpus propagandístico ativado logo nos primeiros meses da administração Agamenon Magalhães, baseava-se em sequências contínuas de festas e eventos (elementos de grande visibilidade para o governo que se instalava) e uma prosa que exaltava a serenidade de um país harmônico em meio a um mundo em guerra: nos jornais de 1937, 1938 e até mesmo 1940 [...].


(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)