A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.







Os mapas do Brasil na engenharia militar portuguesa (1750-1822)

André Ferrand de Almeida
Investigador do Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Lisboa. Os seus interesses centram-se na História do Brasil no período colonial, na História da Cartografia e na História Religiosa na Época Moderna. É autor do livro “A Formação do Espaço Brasileiro e o projecto do Novo Atlas da América Portuguesa, 1713-1748” (Lisboa, 2001) e foi um dos coordenadores do volume “La cartografia europea tra primo Rinascimento e fine dell’Illuminismo” (Florença, 2003). Colaborou, enquanto investigador, nos projectos “A Cartografia Setecentista do Brasil nas Colecções da Biblioteca Nacional” (1998-2000) e “SIDCarta – Sistema de Informação para Documentação Cartográfica: o espólio da Engenharia Militar Portuguesa”(2002-2005). É colaborador regular da Área de Cartografia da Biblioteca Nacional de Portugal desde 1998 e foi responsável pela revisão e correcção da catalogação da colecção de atlas antigos da Biblioteca Nacional de Portugal (séculos XVI-XIX) realizada em 2008 no âmbito do projecto DIGMAP.

João Carlos Garcia
Doutor em Geografia Humana (1996), professor do Departamento de Geografia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, membro da Sociedade de Geografia de Lisboa, da Associação Portuguesa de Geógrafos, da Comissão de História da Geografia da União Geográfica Internacional e sócio honorário da Societat Catalana de Geografia. Os seus interesses centram-se na História da Cartografia, na Geografia Histórica e na Evolução do Pensamento Geográfico. Sobre História da Cartografia Luso-Brasileira coordenou a edição de “A Nova Lusitânia: Imagens Cartográficas do Brasil nas Colecções da Biblioteca Nacional” (Lisboa, 2001); “A Mais Dilatada Vista do Mundo. Inventário da Colecção Cartográfica da Casa da Ínsua” (Lisboa, 2002) e “Cartografia do Brasil na Biblioteca Pública Municipal do Porto” (Porto, 2011). Participou em diversos projectos de investigação como: “Fontes Cartográficas Portuguesas dos séculos XIX e XX: as instituições e os mapas” (1997-2001), “SIDCarta – Sistema de Informação para Documentação Cartográfica: o espólio da Engenharia Militar Portuguesa” (2002-2005); “Comissão de Cartografia (1883-1936): Cartografia, Política e Territórios Coloniais” (2003-2006).


RESUMO
Os mapas do Brasil e dos países vizinhos pertencentes ao Gabinete de Estudos Arqueológicos de Engenharia Militar da antiga Direção dos Serviços de Engenharia do Exército Português (atual Direção de Infraestruturas) constituem um acervo cartográfico de grande valor, muito provavelmente um dos mais importantes que se guardam em Portugal sobre o território brasileiro nos séculos XVIII e XIX. Esta coleção de Cartografia é complementar das coleções existentes no Arquivo Histórico do Exército (Rio de Janeiro) e da Mapoteca do Ministério das Relações Exteriores (Rio de Janeiro). Embora em sua maioria composta por mapas manuscritos do período colonial (1750-1822) possui também importantes mapas impressos. A coleção, que inclui outros núcleos relativos a Portugal e ao seu Império colonial, foi objeto de tratamento documental e integralmente digitalizada no âmbito do Projeto SIDCarta (Sistema de Informação para Documentação Cartográfica: o espólio da engenharia militar portuguesa) entre 2002 e 2005 mas, apesar de estar disponível on-line, o acervo está longe de ser verdadeiramente conhecido. O nosso propósito nesta apresentação é dar a conhecer esta coleção através das suas características mais relevantes, como a cronologia, a autoria e a tipologia dos documentos, as escalas e áreas geográficas mais figuradas, e a partir da análise de alguns dos seus mapas mais importantes no contexto da História da Cartografia e da História Luso-Brasileira Moderna e Contemporânea.

PALAVRAS-CHAVE: cartografia portuguesa; Brasil; séculos XVIII e XIX

ABSTRACT
The maps of Brazil and neighbor countries which belong to the Estudos Arqueológicos de Engenharia Militar from the old Direcção dos Serviços de Engenharia do Exército Português (now Direcção de Infraestruturas) are a cartographic collection of great value – probably the most important about Brazilian territory (in the 18th and 19th centuries) in Portugal. This cartographic collection is complementary to the existing collections in Arquivo Histórico do Exército (Rio de Janeiro) and Mapoteca do Ministério das Relações Exteriores (Rio de Janeiro). Although this collection has in its majority manuscript maps of the Brazilian colonial period (1750-1822) it has another important printed maps. The collection (which also has documents about Portugal and it’s colonial empire) was recently catalogued and fully digitized for the Project SIDCarta (Sistema de informação para documentação cartográfica: o espólio da engenharia militar portuguesa / Information system for cartographic documents: the Portuguese military engineering assets) between 2002 and 2005. This collection is far from being truly known although is available online. Our aim in this paper is to familiarize the public with this collection through it’s most important aspects (such as: chronology, authorship, type of documents, scales and most common geographic areas) and through the analysis of it’s main maps regarding Cartographic History and the Brazilian-Portuguese modern and contemporary history.   

KEYWORDS: Portuguese cartography, Brazil, 18th and 19th century

Os mapas do Brasil e dos países vizinhos pertencentes à antiga Direção dos Serviços de Engenharia (DSE) constituem um acervo cartográfico de grande valor, muito provavelmente um dos mais importantes que se guardam em Portugal sobre o território brasileiro nos séculos XVIII e XIX. Esta coleção de cartografia é complementar de outras existentes no Brasil, nomeadamente das coleções existentes no Arquivo Histórico do Exército (Rio de Janeiro) e na Mapoteca do Ministério das Relações Exteriores (Rio de Janeiro). Mas antes de a analisarmos com mais detalhe é importante referir o que foi realizado antes no que respeita à inventariação e descrição dos mapas relativos à representação do espaço brasileiro existentes em Portugal.

(Veja o artigo na íntegra na versãO PDF)