A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.





O Brasil na cartografia pré-lusitana

Paulo Márcio Leal de Menezes
Possui graduação em Engenharia de Geodésia e Topografia pelo Instituto Militar de Engenharia (1977), graduação em Engenharia pela Academia Militar das Agulhas Negras(1969), mestrado em Sistemas e Computação pelo Instituto Militar de Engenharia (1987) e doutorado em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Vice-Presidente para Assuntos Internacionais da Sociedade Brasileira de Cartografia e Vice-Presidente da Associação Cartográfica Internacional.


RESUMO
O nome Brasil é conhecido praticamente desde o século XII, citado nos mais diversos documentos legais, pautas aduaneiras e listas de comércio, principalmente na Itália e França antigas. Como um topônimo, o nome Brasil está presente em referências cartográficas pelo menos desde 1325, em um mapa devido ao cartógrafo genovês Angellinus Dalorto, vindo a se repetir a sua representação extensamente até o século XV, sem estar relacionado com as novas descobertas ocorridas sobre o novo Continente, principalmente em documentos elaborados por cosmógrafos de origem italiana e catalã. As pesquisas mostram e uma extensa bibliografia cita a existência de referências cartográficas do topônimo, principalmente como uma ilha com nomes segundo uma variedade de grafias, entre eles: Brazil, Berzil, Bracie, Brasil, Bracir, Brasill, Brezill, Brazail. Este trabalho tem por objetivo mostrar a cartografia pré-lusitana, com suas referências ao Brasil e os locais onde podem ser acessadas para estudo. Serão mostrados os principais fatores que vieram a influenciar a cartografia portuguesa, imediatamente após o descobrimento. Por outro lado pretende-se divulgar e informar sobre esta área da pesquisa histórico-cartográfica, como uma motivação para uma nova geração de pesquisadores.

PALAVRAS-CHAVE: cartografia histórica pré-
-lusitana; nome do Brasil; ilhas místicas

ABSTRACT
The name Brazil is known almost since the twelfth century, quoted in various legal documents, lists of tariffs and trade, mainly in Italy and France ancient. As a place name, the name is present in Brazil cartographic references from at least 1325, on a map due to the Genoese cartographer Angellinus Dalorto coming to repeat its representation widely until the fifteenth century, without being related to the new discoveries that have occurred over the new continent, especially in documents prepared by cosmographers of Italian and Catalonia. Research shows and an extensive bibliography cites the existence of the toponym cartographic references, mainly as an island with names on a variety of spellings, including: Brazil, Berzil, Brace, Brazil, Brace, Brasillis, Brezill, Brazail. This paper aims to show the mapping pre Lusitanian, with its references to Brazil, where they can be accessed for study. This will show the main factors that were to influence the Portuguese cartography, immediately after discovery. On the other hand aims to promote and inform about this area of historical and cartographic research, as a motivation for a new generation of researchers.

KEYWORDS: historical cartography pre Lusitanian; name Brazil, mystical islands

INTRODUÇÃO

DA história do uso do nome Brasil como um nome geográfico possui teorias diversas sobre suas origens. Geograficamente, quando surge em mapas, a partir do século XIV, apresenta algumas peculiaridades, não tendo sido colocado sobre um único e mesmo território, como a grande maioria dos demais nomes geográficos. Por outro lado, não foi dado por ser um caso de crescimento do conhecimento natural de uma área. Assim foi aplicado a diferentes territórios, os quais apresentavam uma maior ou menor extensão.

(Veja o artigo na íntegra na versão PDF)