A Revista NAVIGATOR é dirigida a professores, pesquisadores e alunos de História e tem como propósito promover e incentivar o debate e a pesquisa sobre temas de História Marítima no meio acadêmico.


A Revista Navigator (Qualis B3) recebe artigos até 23 de abril de 2017 para compor o dossiê intitulado: “O Brasil e a Grande Guerra” organizado pelos Profs. Drs. Francisco Eduardo Alves de Almeida (Programa de Pós-Graduação em Estudos Marítimos / EGN) e José Miguel Arias Neto (Programa de Pós-Graduação em História Social / UEL).

A Primeira Guerra Mundial (1914-1918) é considerada por muitos historiadores como um dos marcos iniciais do século XX. Ultrapassando as fronteiras europeias e espraiando seus tentáculos por todo o globo, tal conflito foi o mais mortífero e destruidor que a humanidade vivenciara até então, resultando em um saldo de oito a nove milhões de mortos, além de cerca de trinta milhões de feridos. As transformações desencadeadas pela Grande Guerra não se restringiram às suas consequências letais, mas também influenciaram os rumos da humanidade nos contextos político, geopolítico, cultural, social, econômico, tecnológico e científico.

O Brasil manteve-se neutro até o ano de 1917, quando, após ter sofrido uma série de ataques a navios mercantes, declarou guerra à Alemanha. Destacou-se no esforço de guerra brasileiro: a operação de uma Divisão Naval no Teatro de Guerra; o envio de aviadores navais e militares à Europa; e a atuação de uma Missão Médica Militar na França. Entretanto, mesmo antes de 1917, o grande conflito já repercutia no Brasil nos diversos espectros sociais e no âmbito cotidiano.

A partir dessa perspectiva, a Revista Navigator convida historiadores e pesquisadores que se debruçam sobre a correlação da Grande Guerra com o Brasil para uma discussão acerca do tema. Esperamos contribuições que abordem os diversos contextos acima elencados relacionados à história militar.'
A aceitação dos trabalhos é decorrente do processo de avaliação por pares. Além disso, a Navigator recebe artigos e resenhas em fluxo contínuo.

Mais informações em seguindo as seguintes especificações:

1. Os artigos devem ser apresentados no padrão Word for Windows. Terão a extensão de 20 páginas no máximo, digitadas em fonte Times New Roman 12, com espaço entre linhas de 1,5 e com margens de 2,5cm. As notas devem ser colocadas no final do texto;

2. Se houver imagens, estas deverão ser, preferencialmente, digitalizadas em 300 DPI no formato TIFF ou JPG. No caso de imagens provenientes de câmera digital, a resolução deve ser a mais alta do equipamento. As imagens não deverão estar inseridas no texto em Word, mas gravadas separadamente;

3. Os artigos deverão estar acompanhados de resumo (português e inglês) de no máximo 10 linhas e 3 palavras-chaves;

4. Os ensaios seguirão as mesmas normas especificadas para os artigos;

5. As resenhas poderão ter até 7 páginas;

6. As notas deverão obedecer à NBR 6023;
SOBRENOME, Nomes. Título do livro em itálico: subtítulo. Tradução. Edição, Cidade: Editora, ano, p. ou pp.
SOBRENOME, Nomes. Título do capítulo ou parte do livro. In: Título do livro em itálico. Tradução. Edição, Cidade: Editora, ano, p. X-Y.
SOBRENOME, Nomes. Título do artigo. Título do periódico em itálico. Cidade: Editora, fascículo, p. X-Y, ano.

7. Os trabalhos devem ser remetidos com uma folha à parte com nome completo do autor, seguido das referências com as quais deseja ser apresentado (no máximo três linhas), endereço completo, e-mail e telefone para contato.

8. Uma vez publicados os trabalhos, à NAVIGATOR se reserva todos os direitos autorais, permitindo, entretanto, a sua posterior reprodução, com a devida citação da fonte.

9. Toda correspondência referente à NAVIGATOR deve ser encaminhada à Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha – Departamento de Publicações e Divulgação. Praça Barão de Ladário, s/nº, Ilha das Cobras, Rio de Janeiro, RJ, CEP 200091-000, aos cuidados do Editor da Revista NAVIGATOR.


Contatos: navigator@marinha.mil.br